quarta-feira, 5 de julho de 2017

Depois das férias...uma cirurgia!!!

Depois daqueles dias maravilhosos a sul, tínhamos á nossa espera semanas menos boas (já fomos com isso mais que sabido) mas não queriamos sequer pensar nisso.
Porque daqui a uns largos anos não te vais lembrar vou-te contar,  fez 1 ano em Março que a mãe caiu e magoou um ombro depois de fisioterapia diária e 6 meses de baixa (eu que só tinha estado de baixa na gravidez) voltei ao trabalho ainda que a meio tempo, ainda que a fazer fisioterapia e apesar de não ser o trabalho que escolhi voltei feliz e contente pois estava farta de estar em casa e porque claro o médico assim decidiu.
A verdade é que muito pouco tempo depois as dores intensificaram-se e se a mãe já não dormia muito passou a dormir quase nada, mês após mês de uma tortura que não desejava a ninguém dormia 3 horas e nos dias bons 5 horas por noite, não quis ser piegas e aguentei sempre de sorriso pronto, entretanto outros planos vieram e foram-se como o dia chega a noite ( mas destes não quero falar) e em janeiro volto a ir ao médico (acidente trabalho já sabemos como é) o processo anda eu já tinha opinião de outro médico e depois de mais um exame (super doloroso) o médico foi unânime não havia outra solução se não OPERAR!!!!
E esta foi a decisão e por isso fomos de férias com a certeza que aquilo que nos esperava a seguir não seria fácil.

Continuei sempre de cabeça erguida, a dormir pouco ou nada, a tentar fazer o meu melhor em termos profissionais para que tudo corresse bem, porque se há algo que gosto é da perfeição da organização e principalmente de aprender sempre mais, como sabes a mãe é Educadora uma profissão que ama de paixão mas a vida quis que o meu caminho se cruzasse desta forma e eu só tenho de caminhar e lutar para que um dia possa dizer valeu a pena o esforço. ( sim porque não é para todos estudar durante 4 anos na perspectiva que vamos ter um futuro melhor, conseguir ganhar relativamente bem, ficar desempregada quando mais gostava do sítio onde trabalhava e que lutei para lá chegar, e de repente a crise do país assim decidiu a tua vida, e depois ires para algo totalmente diferente a ganhares muito muito muito menos, ou seja nem tens o gosto de ganhar bem, nem de gostar do que fazes, depois da revolta vem a luta e a tua perfeição pessoal e um tu consegues falácias alto, e aqui está a mãe a lutar com a certeza que um dia vai valer a pena) . 

Na quinta feira dia 29 a mãe foi operada num local que tão bem conhecemos, onde tu nasceste, onde avó trabalha desde o início, e onde a mãe agora também trabalha.
Fomos bem recebidos e não é por sermos da casa, tenho a certeza disso até porque já lá tinha estado internada sem trabalhar lá o que fazia de mim desconhecida como tantos outros doentes (e gostava que fosse sempre assim porque somos todos iguais)  e fui muito muito bem tratada AQUI ouve coisas também menos boas pontuais mas não menos importantes, e no meu entender devem ser reflectidas nos locais certos para que se possa melhorar os serviços! Obrigada a todos os profissionais!!!

Estamos agora em recuperação as primeiras 48 horas foram complicadas, o pior passou e em casa tudo se faz com muita calma (a possível) para uma pessoa agitada como eu cheia de manias com arrumação e limpezas (e não posso exigir o mesmo destes dois) fazem o que conseguem com muito amor e carinho e eu estou eternamente agradecida.

4 semanas de repouso quase absoluto e para ti é difícil perceber isso queres a mãe de antes que saltava a corda rebolava no chão, cozinhava, dava banho, ia levar ao colégio,etc...mas fazes um esforço tão grande que eu por vezes até tenho vontade de chorar com medo de estar a exigir tanto de ti. 

Vai passar rápido como tu dizes: "vamos contar até 1000 e já está" 

Assim espero e vocês também!

(Tu aproveitas para fazer um pouco de tudo e vestir a minha roupa, usar as minhas malas, pintar lábios com canetas para fazer batton tem sido uma palhaçada pegada que eu tenho adorado)


Sem comentários:

Enviar um comentário