domingo, 5 de junho de 2016

Prometi não gritar!

Todos já gritamos alguma vez na vida.

Uns gritam por raiva, uns gritam de alegria, outros de tristeza e outros gritam porque gritam.

Quando temos filhos a perspectiva da vida muda, e parece cliché mas é verdade aquilo que somos, aquilo que dizemos, as acções que temos vão ser o espelho da educação das crianças que nos rodeiam.

Quando fui Mãe tudo mudou e fiz-te uma série de promessas , uma delas foi não gritar! 

Não, não cumpri e já perdi algumas vezes o norte com as tuas birras, com o teu feitio tão torto, mas quando terminamos estes breves segundos arrependo-me sempre da forma como actuo, e lembro-me de uma dessas vezes (foram muito poucas) ter-me encostado há noite na almofada e pensar : 

"Onde ficou a promessa? Onde estão as práticas de tudo o que estudei?  De tudo o que li, de tudo o que sempre disse não ia fazer?"

Nesse dia fui ao teu quarto durante a noite uma dezena de vezes, arrependimento? Culpa? Não sei, sei que foi nessa noite que prometi mais uma vez não ia gritar mais contigo, mesmo que, com esse teu feitio me tires do sério e tu sabes Baby Be que muitas das vezes consegues.

E gostava que todos os adultos fizessem isto, mas infelizmente é o contrário os adultos gritam mais que as crianças, os adultos têm gestos que não deveriam ter, os adultos por vezes tornam -se pais sem saberem o que esta palavra acarreta.

Quanto o adulto tiver a coragem para se baixar ao nível da criança tudo tomará um rumo diferente, aquela birra começa a ter significado e antes de gritarem com a criança ou simplesmente dizerem como oiço tantas vezes na rua "grita mais alto que não estou a ouvir" vão conseguir perceber que aqueles gritos têm um significado e que na maioria das vezes um abraço é suficiente! 

Cá em casa damos muitos abraços, falamos baixinho (ou vamos tentamos) e sorrimos muito, a técnica do dedo é fantástica e funciona bem quando por vezes ainda temos uma birra não é Be?!

(Dedo polegar para cima:  dedo feliz; Dedo polegar para baixo: dedo triste - quando a Be começa a fazer uma birra sem dizer nada baixamo-nos a altura dela olhos nos olhos e mostro dedo triste automaticamente ela começa -se a rir e pede o dedo feliz e conseguimos então conversar com calma) 


Mas quando um dia leres este texto quero que percebas que o importante de tudo isto é que:

- nunca é tarde para deixar de gritar;
- que a vida é muito curta para perdermos o controlo e a calma apenas porque o copo caiu e sujou o chão ou simplesmente porque não sabemos do brinquedo;
- não importa o que aconteceu ontem, hoje começa um novo dia! 

A paz constrói pontes que nos vão ajudar a atravessar caminhos com mais dificuldades! 







Sem comentários:

Enviar um comentário