quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Olha nos meus olhos


Nesta nova etapa tenho o privilégio de poder olhar nos olhos de mais de 300 pessoas por dia...

Sempre que me cruzo com uma pessoa nova, sorrio e olho para ela nos olhos e fico a pensar o que me está a tentar dizer, oiço-a com atenção mas nem sempre as aquelas palavras correspondem aquele olhar...

Estará feliz?
Triste?
O que diz o seu olhar?
O que será que me separa daquele olhar? O que tenho de diferente?
O aspecto fisíco? A roupa que tenho vestida? Ou o cargo profissional que ela ocupa e eu ocupo?

Quem é?
O que pensa?
O que sonha?

Quando aquela pessoa olha para mim o que pensará ela de mim?

Gosto de imaginar, de observar o que existe para além das palavras que me disseram e do olhar que me fizeram?

Nem sempre as conclusões são boas, os nossos olhos dizem tudo são o espelho da nossa alma!

Naquele olhar tudo é dito, no meu olhar eu digo tudo...

Apenas um sorriso, um olhar meigo, um abraço, uma palavra simpática, transforma um olhar seco translúcido num olhar brilhante e alegre...

Olhem para próximo, à nossa volta existe sempre mais alguém e afinal de contas desse alguem muito pouca coisa nos separa...

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Vão perceber agora a ausência

Estivemos ausentes muito tempo feitas as contas sem publicações de maior desde o dia 8 de Agosto. (Por sinal um dia bem especial)

Desde Agosto até agora a nossa vida deu muitas voltas umas boas e outras menos boas, mas afinal isto é que é viver.

Já tinha saudades de escrever de ouvir os vossos comentários mas sem inspiração não fazia sentido escrever, afinal todos os bons escritores têm os seus momentos. (Agora foi para se rirem um pouco)

A verdade, é que mais uma vez  aqui em casa aprendemos que os caminhos da vida mudam e muito sem que nada o faça prever.

Escolhi um curso com carinho e com amor, poderia ter escolhido outra área a  minha mãe bem tentou enfermagem, o meu pai dizia área da saúde ou gestão, mas eu odiava matemática (esta é a verdade) por isso gestão estava fora de questão área da saúde eu gostava mas... acho que fui teimosa! (Sim já torci a orelha milhões de vezes)

Mas a verdade é que apesar de tudo eu adorava fazer o que fazia, adoro crianças, acordar todos os dias com o sentido de vou ensinar mais isto ou aquilo, vou dar colo mimo, dançar pintar fazer teatro... um milhão de coisas em 8 horas de trabalho dava-me uma grande força de vontade!

Quando acabei o curso dizia a toda a gente, ser Educadora é o melhor do Mundo, mas eu queria mesmo encontrar um sitio onde ficasse lá sempre, andar a saltitar esqueçam não é para mim, e por esta razão concorri ao estado apenas 1 vez na vida!

Saltei mas pouco diga-se de passagem arranjei sempre emprego, sempre disse que queria morar em Lisboa e trabalhar em Lisboa, até porque sempre achei que as boas oportunidades estavam em Lisboa, (aqui devo estar também enganada) o primeiro emprego foi bom, depois de uma passagem por um colégio onde não me pagavam mas que eu adorei lá estar por tudo o que lá vivi e aprendi, mas sem dinheiro não dava e de cascais a lisboa sem receber jesus!... uma curta passagem pela área de seguros e pela área da saúde (tinha que aqui vir parar), eis que sem cunha apenas com luta e persistência consegui entrar para um Colégio grande em Lisboa, estava a delirar ganhava a tabela (coisa rara no mundo das educadoras de Infância), um ambiente extraordinário uma turma durante 3 anos onde tudo foi bom e onde as amizades ainda perduram, quando tudo corria bem e eu estava tão mas tão feliz a crise ou o destino veio dizer-me que não que ali não era o meu lugar e eu teria que sair, chorei muito mesmo, não quis aceitar, não percebi o porquê, mas segui mais uma vez em frente.

Procurei muito recebi ofertas de 250 euros para 8 horas de trabalho (sim podem ficar de boca aberta) e lá consegui arranjar vaga num colégio (substituição) mas pronto "quem sabe se não fico" dizia eu cá em casa, foram uns meses muito bons, mais umas amizades muito mas muito boas (elas sabem quem são), mas o final seria vir para casa outra vez, alguém um dia (essas amigas do coração) disseram, vê as coisas pelo lado o bom vais aproveitar a tua princesa vê-la crescer e o espaço vai aparecer tal como tu mereces!

Talvez elas tivessem razão tudo vem com uma lógica e assim foi uns meses em casa (que bem que souberam), levava a B. a natação (agora esqueçam nada disso), ao colégio as 9h30 ou 10h ia busca-la as 15h30 que dias magníficos!!! Mas a verdade é que nunca estamos bem porquê????

Achei que estava na altura de começar algo, na área não havia nada, outras áreas mas o quê? Uma Educadora de Infância não pode ser médica, veterinária, enfermeira, gestora, bancária... Uma Educadora de Infância na realidade tira uma Licenciatura de 4 anos tal como a maioria dos cursos mas a saída profissional é reduzida.

Achei também que concorrer a outra área seria desistir de ser Educadora, não iria estar a concorrer a outra área para 3 meses a seguir encontrar uma proposta como Educadora e sair de onde um dia me tinham até dado uma oportunidade, não me parece profissional e eu não consigo ser assim.

E assim foi em Setembro decidi concorrer a outras áreas, decidi que ser Educadora era o que eu amava, o que eu queria mas precisava de estabilidade profissional para conseguir ter estabilidade pessoal, ninguém consegue realizar projectos e sonhos se de ano a ano fica desempregada ou de 3 em 3 (era o meu caso), foi uma facada, foi uma decisão muito difícil, chorei muito mais uma vez, tentava encontrar uma razão para toda esta caminhada, para todo este esforço... Perguntava porquê mil vezes ao dia...

A área da saúde estava lá e dia 14 Setembro comecei uma nova caminhada, tem sido uma descoberta e se perguntei tantas vezes porquê encontrei já algumas respostas, em quase dois meses aprendi que a vida não tem caminhos perfeitos, que tudo pelo que já passei não é nada a sério acreditem, nada mesmo, que os olhos da outra pessoa dizem muito mesmo, que se pararmos um pouco para respirarmos o ar do cidadão ao lado vamos perceber o quanto felizes somos!

Sei que ainda tenho uns quilómetros a percorrer, não fui bem para aquilo que queria mas a luta faz parte do meu caminho e como disse uma colega minha uma vez "Deus só dá o fardo que cada um de nós consegue suportar", por isso agora nesta nova caminhada tenho lutado e assim continuarei para chegar até onde conseguir, e acredito que algo de muito bom ainda está para vir!!!!

Com tudo isto, os horários alteraram-se os turnos fazem agora parte das nossas vidas, os sábados de manhã também enfim esta é a parte pior, a gestão não é fácil mas nós temos aguentado como uns senhores, a B teve uma adaptação horrível ao Colégio, a mãe emagreceu uns valentes quilos, o pai também e por cá tivemos a necessidade de fazer uma pausa maior de tudo o que era tecnologia e aproveitar muito mas muito os momentos a três.

Continuamos a aprender todos os dias a gerir este dia-a-dia tão diferente do que estávamos habituados.

Aproveitar, viver, sorrir e ser feliz sempre foi o nosso lema mas agora carrega um significado maior!

Por aí se houver experiências parecidas ou não podem partilhar sabe sempre bem!




sábado, 8 de agosto de 2015

Este post é para ti é para nós!


Está escrito que fazemos bodas de amor eterno que as bodas de namoro terminam aqui... A partir de agora só se comemora bodas de casado, mas nós haveremos de comemorar sempre bodas de namoro independentemente se vamos casar ou não, para mim somos casados há muito tempo apenas não assinamos papeis e sei que para ti é igual, sim para todas as mulheres que estão na minha vida, sinto isto mas claro que tenho o desejo de casar com este homem que escolhi para ser o meu par para toda a vida!

Hoje fazemos 15 anos.

15 anos de amor...
15 anos de respeito...
15 de cumplicidade...
15 anos de risos...
15 anos de tristezas...
15 anos de alegrias...
15 anos de brigas...
15 anos de tudo aquilo que sonhámos.

Se és o homem perfeito? não mas eu também não sou a mulher perfeita e ainda bem que assim é, se fossemos perfeitos não estaríamos juntos, necessitamos das imperfeições para lutar todos os dias para rirmos um do outro para chorarmos um do outro para termos desejos diferentes objectivos diferentes e corrermos atrás de tudo isto porque apesar de tanta diferença no fim o resultado é apenas um: Nós!

Foram os melhores anos da minha vida, era uma miúda quando nos conhecemos nada fazia prever que rumo ia ter a minha vida nem a tua, formei-me, perdi entes queridos, casei a minha irmã, olhamos juntos para a nossa sobrinha no seu primeiro dia de vida, acompanhamos a vida dos meus pais, dos teus pais, tu perdes-te entes queridos, formaste-te, arranjas-te emprego, lutas-te por uma carreira, compramos casa, decidimos morar juntos, namorámos muito e ao fim de 15 anos posso dizer sem medo e receios: SOU FELIZ e TU ÉS FELIZ! E vivemos todos estes momentos juntos!

Não és um homem de muitas palavras aliás detestas tudo o que é leituras lamechas, não gostas de grandes confusões, casar hum não será um desejo teu mas farás quando for possível apenas para me fazer mais feliz ainda, todos conhecem o D. envergonhado dentro da sua concha, mas eu conheço o D. amigo do seu amigo, o marido mais resmungão mas mais afectuoso de sempre, o pai mais babado do Mundo mais carinhoso e mais presente.

Em todos os momentos tiveste comigo, mesmo que não tenha razão tu defendes-me sempre, ralhas comigo quando não cuido de mim, preocupas-te tanto ou mais do que eu com o meu futuro.

Juntamo-nos para superar o Mundo e conseguimos, tu és o ar que eu respiro, por ti vou ao fim do Mundo, sem ti nada fazia sentido, quando me abraças o Mundo fica só nosso e os medos acabam.

Juntamo-nos para sermos uma família e conseguimos, a nossa estrela ilumina os nossos dias, as nossas noites, faz-nos rir quando queremos chorar, dá-nos a volta com a maior das facilidades, é resmungona como o Pai teimosa como a Mãe, mas não a trocaria nem mudaria nada é nossa será nossa para sempre tal como o nosso amor é eterno.

Obrigada a ti meu amor, obrigada a nossa família que sempre nos apoiou, obrigada aos nossos amigos poucos mas bons que estiveram sempre connosco!

Obrigada a nós!

Casar é um sonho mas o meu sonho maior é que saibamos morar juntos sempre, que sejamos um só numa casa de dois!

Quero envelhecer ao teu lado e sei que tu qures envelhecer ao meu lado, falamos nisto muitas vezes e assim será!


sexta-feira, 3 de julho de 2015

Obrigada Centro Infantil 1

A escola é um processo muito importante na formação das crianças.

Quando decidi ter filhos sabia que eles tinham que ir para a escola logo de pequeninos, pois tanto eu como o pai tínhamos que trabalhar para continuar a nossa vida.

A Benedita nasceu e passado 6 meses foi para o colégio, uma escolha difícil e atribulada.

O pai dizia que não percebia muito de colégios pelo que me delegou essa função, a única preocupação dele eram as mensalidades e a minha também.

Quanto ao ensino queríamos para ela um ensino com qualidade mas que tivesse outras componentes que achávamos importantes como:

- Disciplina
- Amor
- Cumplicidade
- Regras
- Liberdade
- Família

Entre outras...

Não havendo muitas possibilidades dentro dos nossos orçamentos financeiros e como em Lisboa os colégios são acima dos 500 euros tivemos que procurar outras soluções, e a única que passava pela minha cabeça sem hesitação seria a única IPSS que conhecia e gostava profundamente os Jardins Escola João de Deus.

O acesso foi muito difícil, caminhadas, telefonemas e telefonemas e telefonemas até termos o Sim!

A escola mudou muito e já não é o que era antigamente, se antes já era de excelente qualidade, agora com a evolução dos profissionais e de todo o ensino está muito melhor, e foi aqui que encontrámos o que queríamos:

- Um ambiente acolhedor e familiar;

- As instalações eram antigas mas com um espaço exterior fantástico que só precisa de um toldo fixo para conseguirem aproveitar mais o recreio de Inverno e verão porque na minha opinião as crianças precisam de muito ar livre;

- As pessoas são fantásticas, carinhosas, alegres receberam com tanto carinho que nem imaginam..

Faltava saber como iria correr...

O primeiro dia liguei umas 15 vezes :) sim desculpem eu sei não devia mas fi-lo e fui sempre atendida com um sorriso, mesmo que do outro lado da linha já não pudessem ouvir a minha voz e tivessem a pensar "Que Mãe tão Melga" a resposta era sempre carinhosa!

Sim chorei quando entrei no carro, e muito mas foi porque percebi que agora ela já não era só minha mas também do Mundo!

Os dias foram passando e a confiança aumentou, (isto de ter que dividir os filhos não é tarefa fácil) Os laços estreitaram-se e criou-se uma amizade muito saudável, a Benedita nunca chorou em momento algum para ir ao Colégio, mesmo faltando tanto como ela faltou por motivos de saúde e independentemente das suas ausências o sorriso era mais que muito... O que podemos pedir mais??? Só isto deixava-nos tranquilos!

Nem as mudanças de Educadora alteraram o seu comportamento, porque foram feitas com tanta tranquilidade que não havia hipótese, e aqui temos que dar Parabéns a Paula pela pessoa que é, pela Educadora que demonstrou ser, chegou envergonhada calada mas de sorriso, cativou cada criança e cada encarregado de educação em pouco mais de uma semana, uma mudança que de certeza virou a vida dela do avesso mas que ela soube dar a volta com uma elegância que não é para todos! Obrigada Paula por estes meses maravilhosos!

Durante estes três anos também mudávamos algumas coisas mas onde não se mudaria? Nada é perfeito e ainda bem!

Agora chegou a hora de dizer "Até já", vamos mudar de instalações mas não de escola, somos obrigados a isso ela cresceu e agora vai para outra etapa, esta mudança implica muita coisa... Principalmente mudar de profissionais deixar para trás as educadoras as auxiliares que foram mais do que isto foram amigas, segundas mães, deram colo, miminhos, ensinaram a gatinhar, a andar, deram apoio na hora de dormir quando o João-pestana nunca mais chegava. Foram três anos intensos e eu e o Pai só podemos dizer OBRIGADA!!!!

OBRIGADA, pelo carinho pelo esforço pela Dedicação, pela paciência, por todo o apoio nas fases menos boas, no dia-a-dia, em cada festa, em cada palavra, em cada abraço, em cada conversa!

Se hoje ela é desenrascada, confiante, faladora, alegre deve-o também a vocês!

Não sei se a Benedita irá encontrar outra família escolar assim, mas de uma coisa é certa os primeiros anos na infância são os melhores e os da Benedita foram excecionais e nunca vão ser esquecidos.

Leva na bagagem as ferramentas necessárias para o resto da sua infância, agora parte rumo à descoberta e mais uma vez a Mãe consegue estar mais ansiosa que a filha, não é pela falta de confiança na outra escola nada disso porque foi escolhida com muita amor mais uma vez, mas pelo facto de perceber que ela está a crescer e também por saber que muita coisa vai mudar...

Bem sei que as mudanças fazem crescer…mas por vezes é tão difícil sair do nosso espaço de conforto!

Vão ficar no nosso coração e continuem assim a fazer com todo o amor e carinho esta profissão que escolhemos!

Obrigada Dra. Inês, Dulce, Olga, Mafalda, Inês, Paula, Filipa, Fernanda, Conceição, Vera.

Obrigada Centro Infantil 1 pelo excelente trabalho!





domingo, 3 de maio de 2015

As saudades de uma Mãe


Sempre tive uma mãe, um Pai, tive uma mãe emprestada e uma avó que ainda hoje é também minha mãe!

Sempre tive o carinho a compreensão e o amor destas pessoas, mas sempre falei muito mais do meu pai do que da minha mãe, e hoje acho que devo dar uma explicação sobre isso, não é que alguém algum dia me tenha questionado, ou que a minha mãe alguma vez tenha dito algo sobre isto, mas neste dia tão especial para ela eu devo-lhe uma explicação!

O meu Pai sempre esteve mais ausente (por motivos profissionais) e daí eu sentir mais saudades dele, falar mais nele, dizer em voz alta que o amava e que ele era é o meu herói, a distância sempre foi a causadora das saudades, ou pelo menos nas nossas mentes assim é. Mas a verdade é que eu senti saudades da minha mãe e da minha avó no primeiro dia em que vim viver para a minha casa, não houve grandes despedidas nem se falou muito neste assunto, aliás se pensar bem, sei que fui trazendo as coisas aos poucos e ouve um dia que saí.

O primeiro dia foi giro era diferente, de namora, alegria partilha um momento novo, mas as saudades da minha Mãe apertavam e foi aqui que me fez o click...

Afinal eu gostava dos dois da mesma maneira apenas sentia mais a ausência dele do que dela.

Agora sinto a ausência dos dois, mas é bom, é bom percebemos o quanto somos ligados e unidos.

Sinto saudades de me deitar na cama da minha mãe e dormir com ela.

Sinto saudades do cheiro a perfume quando acordava e ela já tinha saído.

Sinto saudades de lhe pedir para me esticar o cabelo.

Sinto saudades dos abraços, dos beijos de boa noite.

Sinto saudades dos ralhetes por as coisas não terem sido feitas.

Sinto saudades de jantar com a minha avó e ver a novela com ela.

Sinto saudades do cheiro dos pequenos-almoços do fim-de-semana.

Sinto saudades de ir a praça no sábado, de ir a feira ou ao supermercado.

Sinto saudades de ti Mãe, sabes porquê? Porque sentir saudades é isto mesmo é darmos valor ao que temos e ao que não temos, significa amor, carinho, união, cumplicidade, e a verdade é que nós somos assim unidas tu costumas dizer muitas vezes que o nosso cordão nunca foi cortado, e eu acredito nisso, a nossa telepatia é incrível, à distância consigo saber quando estás triste, quando estás feliz, quando tens uma dor ou um problema, e sei que tu sabes o mesmo de mim.

Gosto tanto de ti que por vezes até fico assustada com o meu coração, gosto que me ligues de 5 em 5 minutos, que troques mensagens, que fiques furiosa quando não te atendo o telemóvel, gosto de ti assim como és.

Agora sou mãe, a única coisa que quero é ser como Tu, quero que a minha filha seja adulta e sinta estas mesmas saudades, esta mesma telepatia, este mesmo amor.

Com todos os teus defeitos e com todas as tuas qualidades que celebremos muitos dias especiais como o de hoje.

Porque ele é o meu herói e porque tu és a minha Rainha, a Rainha de tudo aquilo em que me transformei. Obrigada

Feliz Dia da Mãe!

sábado, 31 de janeiro de 2015

Ter filhos

A decisão de ter outro filho na minha opinião tem que ser ponderada, de comum acordo, sei bem que não há alturas certas momentos ideais, mas também sei que temos que ter uma série de condições reunidas para ter um dois três ou mais filhos, certo?

Não posso decidir ter outro filho apenas porque acho que estou na idade limite, ou porque estou com esse desejo, será que estou errada?

Ter filhos e depois nao conseguir respirar porque não tenho dinheiro para ir a uma consulta, para ir à farmácia, para comprar um casaco porque está frio...

Ter filhos e dar aos avós para cuidar...

Ter filhos e começarem as discussões porque em casa que não há pão todos ralham e ninguém tem razão...

Ter filhos assim acho que não será boa ideia.

E dizem me que com amor tudo se faz... Sim éverdade eu sei, e o que mais desejamos quando sem querer sem planearmos este momento de luz acontece é que de facto tudo corra bem, venha com saúde que aqui na terra terá com toda a certeza muito amor.

Mas só amor, infelizmente não chega, até para nascer é preciso ter sorte... Parece duro dizer isto mas é verdade as coisas menos boas acontecem a todos e por vezes ninguém os espera, e existem problemas de saúde e outros que além de muito amor é preciso muita estabilidade emocional e financeira para ajudar a superar da melhor maneira possível. 

Esta semana descobri este blog My Special Baby que adoro seguir, adoro sentir a força destes País e a forma como encararam tudo, e ao ler a primeira vez descobri que mesmo sendo muito bem seguida as coisas acontecem... E a estabilidade que falo é importante nestes momentos.

Além de todos estes pensamentos, passo muito tempo a pensar como será com os outros vou amar como amo esta miúda gira? Vou sentir o mesmo? Vou conseguir dividir o meu coração? Os meus beijos? Os meus abraços? 

A minha mãe diz que sim, diz que amamos sempre os filhos com a mesma intensidade. Não sei fica a dúvida...

Só sei que ter filhos é a melhor coisa do Mundo, que adoro ser Mãe queria ter mais tempo para ela, se quero ter mais? Sim muito mas quero ser ponderada na decisão pensando em tudo isto e muito mais.

Na minha opinião o que mais custa a pagar num filho é a educação, colégios a 400 euros.... A multiplicar por dois vejamos... 

Será assim? 

Alguem por aí que ajude?

Olá, 

Não sei como gerem o vosso dia a dia...
Por aqui têm sido dias um pouco complicados.
Sim não temos empregada, temos que limpar, lavar, dar banhos, cozinhar (algo ainda um pouco detestável), dar banho a princesa, por e tirar mesas, manter uma casa limpa e arrumada ir deixar e levar a cria ao colégio etc etc etc. E principalmente temos que ter tempo para nós ( quase não existe) e para ela ( vai pelo mesmo caminho) e não quero não queremos! 

Leio blogs e mais blogs, oiço concelhos de amigas e conhecidas, tiramos ideias cá em casa, falamos muito no assunto, pois se com uma já está a ser um pouco complicado como seria com duas? 

A uma conclusão chegamos sempre aliás a mais que uma:
1- nunca estamos satisfeitos com o que cumprimos ( se calhar sou mais eu) 
2- quem nos dá concelhos normalmente tem a empregada, os avós, etc (vidas muito facilitadas) 
3- o defeito está em nós e nós vamos conseguir! 

Aqui em casa o dia começa muito cedo 6h30 levanto preparo me e as 7h00 começo a despachar a criança da casa, de notar que já não consigo tomar o pequeno almoço e que são 30 minutos para tomar banho, vestir me e não da pra muito mais já nem me Pinto a maioria das vezes e quando lavo a cabeça já não consigo esticar o cabelo ( isto porque tenho um cabelo juba de leão e não consigo lavar a noite) 

Dou lhe o leite a ela ( queria passar para o peq almoço a mesa e deixar o biberão ) mas é tudo a 1000, vestir fazer 1000 birras do sono e são 7h30 temos que sair...

Vou leva la ao colégio e o pai fica a despachar se, deixo a e vou ter com ele para irmos os dois ( trabalhamos perto) e assim conseguimos poupar algum uma vez que ainda é temporário e não sei se fico. 

Temos 30 minutos as vezes menos desde o tempo que chego ao pé dele até chegarmos o nosso local de trabalho.

Saímos as 18h00 vamos a correr busca lá chegamos quase as 18h40, voltamos para casa e chegamos às 19h15, isto dá para ela ir para a banheira com o pai, eu ir para a cozinha fazer o jantar, preparo tudo na cozinha vou para os quartos arrumar algo que ficou por arrumar (como fazer a cama algo que ele nunca faz e enerva me) :) ponho a mesa el cheg ao pé de mim brinco 10 minutos com ela vamos jantar são 20h acabamos de jantar ele levanta a mesa brincamos mais 10 minutos e cama:( 

Ela adormece estamos estoirados e ainda há a cozinha para arrumar as nossas roupas para o dia a seguir e afins... Por vezes algum trabalho ainda para fazer como avaliações da criançada... E sento me no sofá para relaxar as 22h em dois segundos dos adormeço e as avaliações ficaram por fazer... e se calhar a cozinha por arrumar (algo que detesto tb) 

Com isto posso dizer vos que uma vez por semana conseguimos ter ajuda do meu sogro para ir busca la facilita um pouco! 

Resumindo:

Não gostamos da nossa qualidade de vida, não gostamos do tempo que não temos para ela, achamos que não estamos a ser bons pais,  não conseguimos fazer melhor! Ou se calhar conseguimos mas ainda não descobrimos como...

Temos a certeza que isto vi mudar! 

Uma coisa vos posso garantir admiro as Mães a tempo inteiro e respeito muito esta decisão, não sei como fazem em termos orçamental mas um dia irei compreender, só vos posso garantir que se eu pudesse optaria por est profissão, mil vezes a minha família! 

Alguém quer ajudar? Alguém com um dia a dia assim, sem empregados? Sem Bimby, que ajude a ter ideias? 

Obrigada