sábado, 19 de julho de 2014

O até já no colégio

Esta semana voou...
Entre virús que não nos queriam deixar...
Entre carro avariado...
Entre um pé magoado...
Entre uma correria louca...

Houve coisas muito boas!!! E assim se faz mais um balanço de uma semana com muita coisa menos boa mas também com coisas maravilhosas.

Acabamos a semana em despedidas... Melhor dizendo com um Até já!

Sexta-feira foi dia de ir ao colégio dizer adeus e obrigada!

Sim um Obrigada enorme, de coração às pessoas que cuidadaram da minha princesa como se cuida de uma flor... Nunca deixaram ela murchar... Muito pelo contrário fizeram dela uma menina crescida cheia de alegria, de felicidade, de sorrisos para dar sempre que a ia buscar, um colinho todas as manhãs, um adeus à mãe na janela no colo da Leonor "Nô nô" como ela diz.

E muitos mais colos aqueles invisíveis para alguns, mas que eu sei que estiveram lá da Mafalda "aalda", da Inês "nês" da Fernanda "anda", da Raquel "áquele", da Dulce "uce" profissionais extraordinários pessoas incríveis. 

As perguntas do dia-a-dia:

- Então como correu a escola?
- Nada de resposta
- Dormiste?
- Xim ah nês.
- Comes-te
- Xim aalda à nônô à pupa à dita
- E trabalhos fizeram? (quando a mãe levava horas claro :) )
- Xim aalda à pintari à dita

Respostas sempre muito em chinês, mas onde transmitia uma alegria enorme.

Um coração de mãe nunca deixa de ficar apertado, eu sei e estando eu dos dois lados, sei que o lado delas, que ficam com eles e tentam fazer de tudo para nos acalmar não é nada fácil, esta profissão tem muito que se lhe diga, tem que se ter sorte em muita coisa para que tudo funcione a 100%, sorte nos pais que se vai encontrar, sorte na equipa com que se vai trabalhar, sorte na direção que comanda tudo... Sorte... E se ela falha em algum ponto tudo pode ir do 100 ao 0 num instante! 

Como Mãe acho que nós também temos que ter sorte nas pessoas que encontramos para deixar os nossos filhos, temos que ter empatia com a educadora e auxiliar, coração apertado mas mente tranquila é o que queremos quando os deixamos...

O ano passado consegui ter isto, apenas com 6 meses conseguia ir tranquila a Dulce e a Raquel conseguiam transmitir me isto. 

E ao longo deste ano também consegui ter isto, vinha tranquila quando a deixava, a Mafalda e a Inês foram extraordinárias de um profissionalismo incrível, de uma força de vontade gigante! 

Sei que ainda existe muitas pessoas a pensarem que a creche é apenas para brincar e comer e não dão qualquer importância, mas eu dou e muita, é nesta fase que eles se formam enquanto crianças e posteriormente enquanto adultos, aqui está a base do sucesso acreditem! 

A todas elas o nosso muito obrigada! 

Um beijinho enorme 













Sem comentários:

Enviar um comentário