quarta-feira, 4 de junho de 2014

Para a S. e para o M...Para todos que andam depressa demais

Há dias que não sei o que escrever...
Tudo o que escrevo aqui tem que fazer alguma lógica dentro de mim, e estes dias confesso-vos nada tem feito muita lógica.
Esqueci-me dos anos de duas pessoas muito importantes para mim, eu com datas nunca fui muito certa, mas desta vez até num papel tinha escrito acreditam? Não me podia esquecer por nada deste mundo, mas o dia chegou e a minha cabeça... nada, passou-se outro e outros dias e nada! Nem com o raio do facebook a minha cabeça fez click! Por aqui vejam como ando, não é normal uma pessoa esquecer-se de algo que está escrito diante dos seus olhos? Perguntam vocês e eu respondo-vos claro que é! Basta essa pessoa estar a olhar para um vazio, estar cá e não estar...
 
Foi assim que me senti nestes dias, porque por muita força que tenha e pensamentos positivos, não sou de ferro e sou um ser humano como tantos outros, e estes dias a minha cabeça estava vazia, a minha alma dorida, o meu coração triste e eu, eu estava em todo lado menos aqui, era chamada a terra pela criança cá de casa que não deixa a mãe fugir, é o que me vale!
 
Olho para trás, sim eu sei não se deve olhar para trás e normalmente não o faço, mas às vezes existe uma força maior que diz para o fazer, e olhei para trás estes dias... quis observar com atenção o caminho que tenho feito, quis perceber onde acertei e onde errei, é necessário às vezes estes pensamentos.
 
Acertei sem dúvida em muita coisa, mas também errei e o meu maior erro começa quando confio demais nas pessoas, por natureza eu sou assim, dou tudo a toda gente, o meu máximo, porque não consigo ser de outra forma, e tenho tido grandes desilusões.
 
Guardo sem dúvida uma revolta, uma mágoa, dos caminhos menos fáceis que já atravessei, superei-os? sim, claro que sim, mas guardei-os porque não consigo ser de outra forma!
 
Estes dias tenho andado a pensar, no futuro, no presente...
 
Porque nem sempre um blog serve para falar de coisas boas e sorridentes, nem sempre é para mostrar os dias magníficos, porque deste lado de cá está uma pessoa um ser humano que cai e se levanta como qualquer outro e por isso não faz sentido só mostrar-vos o lado bom...Porque existe dias menos bons!
 
A essas duas pessoas só me resta pedir desculpa, ainda são pequenas não entendem é o bom que se tem em ser criança, mas eu sei que elas me conhecem e sabem que na verdade eu nunca as esqueço!
 
Sei com toda a certeza que devem ter tido dias magníficos cheios de alegria cheios de coisas pirosas para ela e coisas de rapazes para ele, porque estou aqui e porque mais vale tarde que nunca: PARABÉNS S. e PARABÉNS M!
 
Relativamente a estes dias menos bons, já estão a passar, estar em casa não tem sido grande ajuda, adoro o papel de Mãe a tempo inteiro, poque tem muita muita coisa boa e eu já vos contei aqui o lado positivo disto, mas está quase a fazer um ano e eu estou cansada, sem forças, cheia de perguntas para fazer ao meu futuro... Mas ele não me vai responder, por isso vou deixar andar mais um tempo, vou ganhar coragem para mais uns dias...uns meses...ou uns anos ninguém sabe.
 
Li uma vez uma história aos meninos da minha sala chamada "O Pássaro da alma" achei que não iriam perceber nada do livro, mas enganei-me perceberam e muito bem, e como dizia este livro a minha alma também tem muitas gavetas, e estes dias abri a gaveta da tristeza, hoje peguei e fechei-a quando escrevi este texto, abro agora novamente a gaveta da alegria e da esperança, porque sei que vai tudo correr bem, porque sei que sou lutadora e vou conseguir e porque guardo a frase da minha amiga e mãe da S. (de quem me esqueci) que sempre que uma porta se fecha abre-se uma grande janela!!!
 
Obrigada por estarem aí
Obrigado por me ajudarem a fechar umas gavetas e abrir outras!
 
Para que me desculpem mais uma vez, a S. e o M. e a minha S. cá de casa por estes dias mais agitados, por andado depressa demais... E como não existem coincidências hoje no carro embrenhada em pensamentos começo a ouvir esta música... Chegou na hora certa no momento certo... Espero que gostem peço à mãe da S. e do M. para eles ouvirem, "porque eu vou estar aqui"!
 
Beijinhos
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário